Site Antigo – Obra Filosófica (6)

Ayn Rand Old Site - 06 - Obra Filosofica

Este o texto da sexta página, um resumo da Obra Filosófica de Ayn Rand:

Obra Filosófica
O Valor Reconhecido da Filosofia Randiana

Ayn Rand certamente vai ser colocada entre as figuras mais importantes da filosofia do século XX e como a mais intransigente e coerente defensora da razão contra as várias formas de irracionalismo, do indivíduo contra as várias formas de coletivismo (social ou estatal), e da liberdade contra todas as formas de servitude. Mas a defesa do indivíduo e da liberdade se encaixam no contexto maior de sua defesa da razão. Na verdade, fazem parte de sua defesa da razão a defesa dos seguintes princípios, sem os quais a razão sossobra:

Realismo, na metafísica: a realidade existe, tem existência objetiva, e tem primazia sobre a consciência que dela tem o homem, ou seja, existe independentemente de ser percebida ou ser conhecida, não sendo, portanto, de maneira alguma, “construída” pela mente humana.

Empirismo, realismo, racionalismo, e objetivismo, na epistemologia: a realidade é cognoscível através dos sentidos e da razão; os sentidos fornecem a matéria prima que a razão identifica, analisa e integra na forma de conceitos, e esse conhecimento conceitual da realidade é objetivo.

Individualismo, egoísmo e racionalismo na ética: O indivíduo é a base de considerações morais, não o social, porque a razão é atributo do indivíduo, e não do coletivo, e é através da razão que o indivíduo define o código de valores que vai determinar sua conduta: um código baseado em seu auto-interesse racional (egoísmo), voltado para a preservação de seu valor supremo, a sua vida como ser racional (e conseqüentemente livre).

Liberalismo “laissez faire” na política: O único propósito defensável de um estado é defender os direitos do indivíduo à vida e à liberdade, protegendo-o contra a violência física, fraudes e quebra de contratos. Suas funções legítimas, portanto, devem se restringir a ser polícia (proteger o indivíduo de quem, dentro de uma unidade política, pode querer violar os seus direitos), ser exército (proteger o indivíduo de ameaças externas) e ser juiz (proteger os contratos e as propriedades do indivíduo contra quebra, fraude, roubo e outras ameaças).

Capitalismo na economia: O capitalismo é o único sistema econômico que preserva todos os outros princípios aqui enunciados; ele possui, portanto, um embasamento moral, e não meramente econômico ou pragmático.

A todo esse conjunto, que forma um dos poucos sistemas integrados e coerentes na filosofia do século XX, Ayn Rand deu o nome de Objetivismo (porque o termo “Racionalismo” já estava desgastado). Vamos discuti-lo em partes.

Mas é importante ressaltar desde já que o tema da razão pervade todos esses sub-temas. A própria Ayn Rand deixa isso claro:

“… Não sou primariamente uma advogada do capitalismo, mas do egoísmo; e não sou primariamente uma advogada do egoísmo, mas da razão. Se alguém reconhece a supremacia da razão e a aplica consistentemente, tudo o mais segue. Isto – a supremacia da razão – foi, é e será a preocupação primária de meu trabalho, e a essência do Objetivismo. … A razão na epistemologia leva ao egoísmo na ética, que por sua vez leva ao capitalismo na política. A estrutura hierárquica não pode ser invertida, nem pode um nível posterior se sustentar sem o fundamental” [2].

“Não podemos lutar contra o coletivismo, a menos que lutemos contra sua base moral: altruísmo. Não podemos lutar contra o altruísmo, a menos que lutemos contra sua base epistemológica: irracionalismo. Não podemos lutar contra nada – a menos que lutemos por alguma coisa: e aquilo pelo que devemos lutar é a supremacia da razão, e uma visão do homem como ser racional” [3].

NOTAS DE RODAPÉ

  1. Ayn Rand, “The Metaphysical and the Man-Made” (1973), in Philosophy: Who Needs It? (New American Library, New York, 1982; volume 1 of The Ayn Rand Library, editada por Leonard Peikoff), p.23, daqui em diante mencionado como PWNI.
  2. Ayn Rand, “Brief Summary”, in The Objectivist, September 1971, p.1089 (último número); Cf. também a Introdução de Leonard Peikoff a PWNI, p.vii.
  3. Ayn Rand, “Don’t Let it Go”, in PWNI, p.214 (penúltimo parágrafo do livro).

[Este trecho foi transcrito de “Ayn Rand: A Face Contemporânea do Racionalismo, do Individualismo e do Liberalismo”, de Eduardo O C Chaves, que está disponível neste site na seção Resumo das Idéias]

Os livros de Ayn Rand que discutem filosofia de forma mais sistemática são, basicamente, os seguintes:

1. Livros Editados em Vida:

For the New Intellectual (The New American Library, New York, 1961)

The Virtue of Selfishness: A New Concept of Egoism (The New American Library, New York, 1964. Tradução para o português sob o título A Virtude do Egoísmo por OnLine Assessoria em Idiomas, revisão de Winston Ling e Cândido Mendes Prunes, publicado pela Editora Ortiz e pelo Instituto de Estudos Empresariais, Porto Alegre, 1991)

Capitalism: The Unknown Ideal (The New American Library, New York, 1966)

Introduction to Objectivist Epistemology (1ª edição, The Objectivist, New York, 1966-1967, e The New American Library, New York, 1979; 2ª edição, expandida, editada por Harry Binswanger e Leonard Peikoff, A Meridian Book, New York, 1990)

The Romantic Manifesto: A Philosophy of Literature (The New American Library, New York, Edição Revista, 1971)

The New Left: The Anti-Industrial Revolution (The New American Library, New York, Edição Revista, 1971; uma nova edição foi publicada em 1998, sob o título Return of the Primitive: The Anti-Industrial Revolution, editada por Peter Schwartz, A Meridian Book, New York, 1999)

2. Livros Editados Postumamente

Philosophy: Who Needs It? Introdução de Leonard Peikoff (New American Library, New York, 1982. Vol. I da Série The Ayn Rand Library)

The Early Ayn Rand: A Selection from Her Unpublished Fiction, editado, com Introdução, por Leonard Peikoff (New American Library, New York, 1984. Vol. II da Série The Ayn Rand Library)

The Voice of Reason: Essays in Objectivist Thought, editado por Leonard Peikoff (New American Library, 1988. Possivelmente este seja o Vol. III da Série The Ayn Rand Library, ao qual há pouca referência)

The Ayn Rand Lexikon: Objectivism from A to Z, editado por Harry Binswanger, com Introdução de Leonard Peikoff, New American Library, New York, 1986. Vol. IV da Série The Ayn Rand Library)

The Ayn Rand Column: A Collection of Her Weekly Newspaper Articles Written for the Los Angeles Times, com Introdução de Peter Schwarz (Second Renaissance Books, Oceanside, CA, 1991)

Letters of Ayn Rand, editado por Michael S. Berliner com Introdução de Leonard Peikoff (A Dutton Book, New York, 1995)

Journals of Ayn Rand, editado por David Harriman com Prefácio de Leonard Peikoff (A Dutton Book, 1997)

Why Businessmen Need Philosophy, editado por Richard E. Ralston (Ayn Rand Institute Press, 1999)

Ayn Rand’s Marginalia: Her Critical Comments on the Writings of over 20 Authors, editado por Robert Mayhew (Second Renaissance Books, New Milford, CT, 1995)

The Ayn Rand Reader, editado por Gary Hull e Leonard Peikoff, com Introdução de Leonard Peikoff (1998)

Russian Writings on Hollywood, editado por Michael S. Berliner (Ayn Rand Institute Press, 1999)

The Art of Fiction: A Guide for Writers & Readers,editado por Tore Boeckmann com Introdução de Leonard Peikoff (2000)

[Ainda continuam a sair livros de Ayn Rand editados postumamente por The Ayn Rand Institute, apesar de já se passarem 19 anos de sua morte. Leonard Peikoff foi incumbido por Ayn Rand de cuidar de seus manuscritos não publicados e de toda sua herança intelectual]

 3. Volumes com Newsletters:

The Objectivist Newsletter, Volumes 1-4, 1962-1965 (Palo Alto Book Service, Palo Alto, CA, 1967, 1982)

The Objectivist, Volumes 5-10, 1966-1971 (Palo Alto Book Service, Palo Alto, CA, 1982)

The Ayn Rand Letter, Volumes I-IV, 1971-1976 (Palo Alto Book Service, Palo Alto, CA, 1979, 1982, 1984)

Para adquirir uma cópia de A Virtude do Egoismo, tradução brasileira de The Virtue of Selfishness, ou de Objetivismo: A Filosofia de Ayn Rand?, tradução brasileira do livro de Leonard PeikoffObjectivism: The Philosophy of Ayn Rand (geralmente considerado o mais completo e sistemático tratamento das idéias de Ayn Rand), contate o Instituto Liberal do Rio Grande do Sul:

Instituto Liberal do Rio Grande do Sul
Inês Medvedovski, Secretária Executiva
Telefone: (51) 332-2376
E-Mail: il-rs@il-rs.com.br
Site: http://www.il-rs.com.br

O preço anunciado no site em 10/01/2001 é de R$ 20,00 e R$ 40,00, respectivamente. Confirme.

Ou, caso prefira, você pode adquiri-los em inglês de Laissez Faire Books ou de Amazon Books. Basta clicar no banner.

Transcrito em Salto, 8 de Junho de 2016

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s